quinta-feira, 11 de novembro de 2010

VOCÊ SABE COMO TIRAR O MELHOR PROVEITO DE UM SERMÃO?


Silas Roberto Nogueira



Para mim a melhor expressão de piedade cristã está no movimento puritano, aliás, seria estranho que tivessem essa alcunha se porventura não fossem piedosos. Um dos manuais de piedade da época dos puritanos tem um trecho que trata de ensinar o cristão a tirar o melhor proveito de um sermão. Os puritanos tinham um alto conceito da pregação, por isso mesmo ensinavam os fiéis a apreciar um sermão. Lewis Bayly, que escreveu um dos mais bem conhecidos manuais de piedade conhecidos nos séculos 17 e 18, recomenda:


“...para que você faça melhor proveito por ouvir [um sermão], note:
(a)    A coerência e a explicação do texto.
(b)   A essência ou o principal escopo do Espírito Santo nesse texto.
(c)    As divisões ou partes do texto
(d)   As doutrinas; e, em cada doutrina, suas provas, seus argumentos e seus usos.


De quantos métodos há, este é o mais fácil para os ouvintes (desde que habituados a ele), pois os ajuda a lembrar o sermão. Por isso muitos se apegam a este método e o praticam os ministros fiéis, que desejam edificar o seu povo no conhecimento de Deus e em Sua religião verdadeira.


Se o método do pregador for estranho ou confuso, esforce-se para lembrar os seguintes pontos:
i.     Quantas coisas ele ensinou que você não sabia; e seja agradecido.
ii.    Que pecados ele reprovou, dos quais a sua consciência lhe diz que você é culpado; então trate de se corrigir.
iii.    Das virtudes às quais ele exortou os ouvintes, quais não são tão perfeitas em sua pessoa; e então empenhe-se em praticá-las com mais zelo e diligência.


Mas, ao ouvir, aplique cada expressão como proferidas a você por Deus, e não pelo homem (Is 2:3; At 10:33: Gl 4:14; 1 Ts 2:13), e esforce-se não tanto para ouvir o som das palavras do pregador em seus ouvidos, mas, sim, para sentir a operação do Espírito agindo em seu coração.”[1]


Num sermão o nosso Bom Pastor fala conosco e uma das marcas de que somos Suas ovelhas é justamente o fato de que podemos discernir a Sua voz (João 10). Por isso é preciso atenção quando um sermão está sendo proferido. Assim como os pais são desonrados quando falam com seus filhos e eles o ignoram, nosso Salvador é desonrado quando ignoramos o que Ele nos diz por meio de um sermão. A exposição da Palavra de Deus é um momento solene, Deus está falando com Seu povo, nós, como o jovem Samuel, deveríamos dizer: “fala, SENHOR, porque o teu servo ouve”. É assim que temos feito? 


Soli Deo Glória!



[1] A Prática da Piedade, pp 275,276

Nenhum comentário:

Postar um comentário