segunda-feira, 14 de março de 2011

O Homem de Deus (v)

Silas Roberto Nogueira

(c) aquilo persegue, v.11c;
Em terceiro lugar o homem de Deus é caracterizado por aquilo que persegue, ambiciona. Note o imperativo – “segue”, que William Hendriksen traduz: “corra atrás...”. A palavra “segue” (gr. dioko) implica em esforço para alcançar, isto é, uma busca intensiva. Seis virtudes são nomeadas em três pares, as quais devem ser energicamente seguidas.
a)    “justiça” e a “piedade” - cobrem totalmente o dever cristão: conduta íntegra para com os homens, devoção e temor para com Deus;  
b)    “fé” e “amor” – estão interligados como princípios que animam a vida cristã;
c)    “constância” e “mansidão” – denotam a conduta própria do cristão em meio à oposição do mundo.
Calvino viu em tais virtudes um antídoto para a avidez pelo dinheiro ou riquezas.  Se o homem de Deus não perseguir a justiça, agirá com parcialidade fazendo acepção de pessoas na congregação (Tg 2.1-4). Se não perseguir a piedade, agirá como se Deus nunca fosse puni-lo, Sl 73.11. Se não perseguir a fé, jamais confiará no Senhor como seu sustentador e provedor. Se não buscar o amor, agirá tendo sempre em vista seus próprios interesses, 1 Co 13.5.  Se não for constante ou perseverante na árdua tarefa de fugir do desejo da riqueza, sucumbirá, vv.9,10. Se não perseguir a mansidão, logo agirá com vingança contra aqueles que se opõe à sua mensagem e estilo de vida, 2 Tm 2.25.

Quais são as ambições dos autodenominados homens de Deus da atualidade? Aquilo que eles buscam, aquilo que anseiam, aquilo em que se concentram na maior parte do tempo, aquilo em que investem suas energias define se são ou não homens de Deus. 

continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário